Monitoramento ao vivo: twitter.com/bhtempo

bhtempo

    28 de dezembro de 2010

    Chuvas em MG: umidade amazônica chega ao estado

    As chuvas que caem sem parar na Região Metropolitana de Belo Horizonte desde o dia 24 de dezembro são resultado da convergência de umidade oriunda da região amazônica com a umidade trazida por um frente fria que permanece estacionada sobre o Sudeste do país. O extenso canal de umidade que se formou no continente sul-americano provoca chuvas contínuas, ora fortes, com raios e trovoadas, em toda a faixa destacada na imagem acima. ALERTA: a condição observada hoje permanece nos próximos dias, o que ainda deve causar muita chuva em quase todo o estado de Minas Gerais.

    MG terá muita chuva na última semana de 2010

    Há menos de uma semana do Ano Novo, a formação de uma Zona de Convergência de Umidade entre a região amazônica e o Oceano Atlântico deve provocar muita chuva sobre Minas Gerais. Os maiores volumes de precipitação pluvial são esperados para as regiões Central, Norte, Noroeste e nos vales dos rios Doce, Mucuri e Jequitinhonha. Na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde o sol não aparece desde a véspera do Natal (dia 24/12), as chuvas devem continuar pelo menos até o começo do Ano Novo. Nessa terça-feira (28), a capital amanheceu envolta a uma densa névoa de umidade e chuva intermitente, conforme imagem ao lado. As temperaturas continuam amenas nos próximos dias. Hoje, a máxima não deve passar dos 25° C.

    20 de dezembro de 2010

    Verão começa amanhã no Hemisfério Sul

    Amanhã, dia 21 de dezembro, às 21 h 38 min, começa oficialmente o verão no Hemisfério Sul. A data coincide com o solstício de verão - momento do ano no qual o Hemisfério Austral recebe um máximo de energia solar. Em Minas Gerais, assim como nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do país, a estação apresenta dias quentes, mas com muita chuva. Em Belo Horizonte, os meses de dezembro e janeiro são os mais chuvosos do ano. As chuvas dessa época caem como pancadas fortes no final da tarde ou, quando causadas por frentes frias, ocorrem de forma persistente por dias seguidos. Segundo previsão climática do Instituto Nacional de Meteorologia, o trimestre janeiro-fevereiro-março de 2011 terá chuvas dentro do normal em Minas Gerais, ou seja, muita chuva!
    Essa previsão, no entanto, nada tem a ver com o tempo nos últimos dias em grande parte do estado. Em Belo Horizonte, por exemplo, não chove desde a última quinta-feira (16) e os dias têm sido de céu limpo, muito calor durante as tardes e até um friozinho nas madrugadas. O tempo seco e o céu praticamente sem nuvens (imagem acima) proporcionam uma grande amplitude térmica diária. Essa dinâmica, típica do inverno no estado, pode ocorrer ocasionalmente durante o verão e recebe o nome de "veranico". Aqueles que estão ansiosos pela volta das características da estação podem ficar tranquilos. A partir da próxima quarta-feira (22), a massa de ar seco perde força sobre Minas Gerais e as chuvas devem voltar com tudo. Há previsão de chuva inclusive para a noite de Natal. A próxima quinzena será chuvosa em todo o estado, segundo análise de diversos modelos meteorológicos.

    13 de dezembro de 2010

    BH: pressão atmosférica atinge seu menor valor em 2010

    Para a maioria das pessoas, a tarde dessa segunda-feira não passou de mais uma tarde normal do final da primavera - com muito sol, calor e algumas nuvens escuras no horizonte. Mas para quem acompanha o dia-a-dia dos dados meteorológicos, a tarde desse 13 de dezembro foi mais do que isso na capital mineira. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), registrados por uma estação automática de superfície localizada na região da Pampulha, entre 16 h e 17 h de hoje, a pressão atmosférica atingiu seu menor valor do ano na capital: 906,4 hPa. Para efeito de comparação, o maior valor registrado esse ano pela mesma estação foi 928,3 hPA - na manhã do dia 18 de agosto. Na prática, um valor de pressão muito baixo como o dessa tarde indica que há amplas condições para formação de nuvens de chuva sobre a região. A pressão baixa favorece a atividade convectiva, ou seja, o transporte da umidade superficial para as camadas mais altas da troposfera (10 mil metros). Esse processo ocorre às custas de um enorme gasto de energia (calor), o que não falta nessa tarde de dezembro em Belo Horizonte. Até às 16 h, a temperatura já havia atingido os 31,3°C na região da Pampulha. A umidade também está elevada, o que favorece o fenômeno. O resultado é o crescimento das nuvens, como mostra a imagem ao lado obtida agora há pouco.
    PREVISÃO: uma frente fria avança sobre o estado de São Paulo e deve chegar ao Triângulo Mineiro e ao Sul de Minas ainda nessa noite, provocando chuva forte nessas regiões. Nas demais regiões mineiras, inclusive na capital, a frente fria apenas estimula a formação de instabilidades tropicais que devem causar temporais a partir de amanhã. Apesar disso, o calor deve permanecer na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

    23 de novembro de 2010

    BH: 147,2 mm de chuva durante a madrugada

    Um temporal atingiu Belo Horizonte durante essa madrugada de terça-feira (23) e deixou um rastro de destruição pela cidade. A chuva começou tímida ainda no final da noite de ontem, por volta das 22 h, mas entre 1 h e 2 h da madrugada a chuva passou a cair forte e não deu trégua praticamente até o início da manhã. Mais uma vez, a capital amanheceu com um cenário de caos: alagamentos, inundações, deslizamentos de terra, queda de muros e árvores e uma morte - a primeira dessa temporada de chuva em Minas Gerais. A Avenida Cristiano Machado, um dos principais corredores viários da capital, amanheceu completamente alagada na altura do Bairro 1º de Maio, devido ao transbordamento do Córrego do Onça (imagem abaixo - TV GLOBO MINAS).


    O volume de chuva que atingiu a capital durante a madrugada impressiona: 147,2 mm! Isso representa 147,2 litros de água para cada metro quadrado do solo da capital, ou seja, muita água. A intensidade e o volume da chuva que caiu sobre Belo Horizonte provocaria problemas semelhantes em qualquer outra grande cidade do mundo. No entanto, a crescente impermeabilização do solo na capital e a supressão de áreas verdes tende a agravar a situação. Cabe à prefeitura, adotar medidas imediatas para o plantio de árvores, criação de novas áreas verdes no município e preservação das que já existem.

    PREVISÃO: novembro de 2010 irá entrar para a história como um dos "novembros" mais chuvosos já registrados em Belo Horizonte. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), na região da Pampulha, onde o órgão mantém uma estação meteorológica automática, o volume total de chuva nesse mês já atingiu a marca de 366,4 mm (até a manhã de hoje). Esse valor é mais que 60 % superior ao esperado para o mês (227,6 mm), segundo o próprio INMET. E a anomalia positiva de chuva deve aumentar ainda mais, já que a previsão é de novos temporais até o final dessa semana. O BH TEMPO tem alertado seus seguidores no Twitter desde a semana passada sobre a previsão de chuva forte para a Região Metropolitana de Belo Horizonte, conforme análise de diversos modelos meteorológicos. Siga você também o @bhtempo e fique por dentro de tudo sobre tempo e clima em MG.